Sabe aquelas mulheres que se desdobram entre a vida profissional e pessoal, para administrar tudo de forma que conciliem com o seu ser mulher, pois bem, quero apresentar a vocês, uma parceira de projeto no Bela Tatuada, que veio pra somar com a gente.


Tatiane Campoy Mitsunaga, 32 anos, São Bernardo do Campo

“Sou sócia de vida e negócios com meu marido Jorge Mitsunaga, temos uma loja de tattoo e barbearia no centro de São Bernardo.
Aliás, foi através dele que entrei neste mundo da tattoo no qual hoje juntamente com ele me dedico por amor a esta arte.

Foi ele quem fez minha primeira tattoo, um desenho na época de uma tatuadora que era conhecida pelos trabalhos autorais, a tatuadora Ana Lua, achava lindo seus desenhos só que como de costume pedi para alterar algumas coisas, amo essa tatuagem, porque desde aí não parei mais. Amo ser colorida não me imagino hoje, vivendo de outra coisa que não seja tatuagem.

A Tati antes das tatuagens era como qualquer adolescente que não via a hora de fazer 18 anos, para fazer a primeira tatuagem. Desde pequena admirava as tatuagens de amigos de meus pais que frequentavam nossa casa, então minha paixão posso dizer que começou cedo, mas só depois dos 18 e já casada com o Jorge que pude fazer a primeira.


Na época ouvia críticas quanto a nossa decisão de seguir juntos, coisas como: “ tatuador não era profissão e que tínhamos que procurar outra forma de renda, que eu não era louca de me encher de tattoo e blá blá blá”.
Mas eram poucos os que eram contra, hoje aceitam respeitam e até indicam nosso trabalho e principalmente apoiam.

Do início, eu ajudava apoiando o Jorge, incentivando-o a estudar e a não desistir, aos poucos já estava na loja com ele. Não é fácil administrar um estúdio, pois infelizmente muitas pessoas não valorizam o trabalho, o material e não tem conhecimento sobre os gastos que se implicam para se manter uma loja. Mas acredito que fazemos um trabalho bacana hoje e conseguimos conciliar algumas ações sociais para arrecadar mantimentos, fraldas geriátricas e brinquedos. No ano passado mesmo, foi muito gratificante poder ter levado sorrisos para algumas crianças de uma comunidade aqui de São Bernardo  e saber que com nosso trabalho hoje podemos fazer algo por alguém, é muito gratificante.
Tivemos a oportunidade e temos ainda de ajudar tatuadoras e tatuadores, que estão iniciando, a estudarem com cursos workshop, com um valor acessível, acho que de alguma maneira conseguimos contribuir positivamente com esta arte e até mesmo a formação de tatuadores profissionais.

Em questão de família, no começo com os filhos pequenos era mais difícil, quanto ao relacionamento marido e mulher e sócios, no começo foi complicado conciliar, mas sempre resolvemos nossas questões com muito respeito acima de tudo, hora de trabalho é trabalho, hora de família é família.

Vivemos muito bem desta forma um apoia o outro quando surge opiniões divergente, que não há consenso deixamos pra resolver depois e com sabedoria de ambos, qualquer relacionamento seja amoroso, de negócios ou amizade, só vai pra frente se houver respeito.
Como mulher sempre procuro um tempo para me cuidar, me amar, e este tempo uso para cuidar do meu cabelo, ouvir uma música, tomar um bom vinho e cozinhar. Amo o tempo com meus filhos e marido, tipo uma vida normal. Acho que sou privilegiada, porque meu trabalho me permite acompanhar o crescimento dos meus filhos, cuidar do meu marido e de mim, e ainda arrumar tempo para ser um pouco mãe daqueles que trabalham com a gente.

O Bela Tatuada, eu já tinha acompanhado outras vezes através de uma funcionária, mas nunca fui muito ligada à isso porque a maioria dos sites de segmento, era só voltado a fotos das integrantes sem ou com pouca roupa e o bela tem uma proposta diferente que valoriza a mulher tatuada em um todo, seja ela tatuadora, maquiadora, fotógrafa, mas que ame tatuagem e a si própria sem se prender a padrão de corpo perfeito.

“O único padrão é ser feliz consigo mesma e claro ser colorida”. 

Apresentar um trabalho legal é que façam a diferença em suas profissões pelo trabalho que desenvolvem , foi exatamente isso que me chamou a atenção. Poder abrir este espaço para essas guerreiras, que muitas vezes sofrem preconceito por serem mulheres, desenvolvendo determinado trabalho, preconceito esse triste falar, mas que muitas vezes vem de outras mulheres e poder fazer parte do bela e contribuir para que nós ganhemos espaço e respeito é maravilhoso.
Acho que a contribuição tem um objetivo em comum ambos desrespeito a ajudar outras mulheres.
Quanto ao bela, contribuir para que profissionais do segmento ou mulheres que gostem de tatuagem a se encontrar profissionalmente, divulgar o trabalho delas e mostrar que mulher não é só um rostinho bonito maquiado, que são fortes guerreiras e capaz de serem aquilo que se propuseram a ser sem medo do preconceito da sociedade ou por acharem que não são capazes de ser porque são mulheres e quanto o que espero para mim é poder continuar idealizando projetos juntamente com o bela para ajudar outras mulheres que lutam contra o câncer que sofrem ou sofreram algum tipo de violência. Se eu conseguir concluir esses objetivos já estarei muito feliz e realizada.

Segue a Tati nas redes sociais e acompanhe os projetos dela junto ao Bela aqui no site:
Facebook   Instagram 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *