A Tatuadora Cris Piza, mais conhecida por ser Modelo e jurada do concurso Miss Tattoo, mostra que tem muito mais a dizer, além da beleza e carisma, o trabalho que se destaca no estilo Realismo, para vocês, Cris Piza além das passarelas.
CES_9456(Foto concurso Musa Brasil no evento de Joinville em 2016, foto por César Bonfim.)

 

18386405_1054339244700017_1698658501_n ” Sempre gostei de tudo que se refere à arte, já tive uma confecção onde eu mesma desenhava as roupas e as cortava e costurava, fui decoradora, cantora e bailarina, mas, quando a tatuagem chegou a minha vida, Laura, minha filha estava com dois meses e eu exercia apenas meu papel de mãe em casa. Então comecei a tatuar em casa somente para amigos, mas outras pessoas foram sabendo, até que a procura estava tão grande que não dava mais para continuar em casa.

Como modelo, foi algo que aconteceu, por ter sido bailarina sempre gostei de fotos e de palco, fiz um ensaio com a fotografa Angelina Toledo com a intenção de valorizar o meu trabalho como tatuadora e a repercussão foi tão boa que outros ensaios foram surgindo, até que participei no susto do meu primeiro concurso de MISS TATTOO, onde não ganhei, mas peguei gosto pela coisa. Atuo com a tatuagem a 4 anos e como modelo 3.

Até hoje quando falo e mostro que tatuo muita gente ainda torce o nariz, desacreditam que uma mulher bonita pode ter talentos também, mas isso eu supero me superando e estudando mais.

“Eu gosto do realismo de um modo geral, mas sou apaixonada pelo preto e cinza.”


Sobre o concurso de MISS TATTOO:

Acho o Miss Tattoo importantíssimo para valorizar as mulheres que amam a arte da tattoo, que foram reprimidas e rotuladas, hoje estamos garantindo nosso espaço e respeito em meio à sociedade.

Esses concursos representam uma revolução, eles vêm para derrubar a imagem que a mulher tatuada carregou por muitos anos, de uma mulher que não tem feminilidade, drogada, fraca e sem estudos. Uma Miss, Mademoiselle, Lady, Musa ou Diva são sinônimos de uma mulher que se valoriza e se cuida, se respeita e é forte e feminina ao mesmo tempo.

Sobre existir um padrão para modelos tatuadas e participantes para o concurso de Miss Tattoo:
” Particularmente eu acredito que não, mas gostaria que sim, digo no sentido que vejo muitas meninas que estão fazendo tatuagens não por amor a arte e nem pelo amor próprio, mas sim, para chamar atenção ou ganhar a qualquer custo e esquecem que tatuagem é coisa seria e é para a vida inteira.
A beleza não tem um padrão de cor, tamanho ou peso, a beleza é pra mim postura e um conjunto harmonioso e agradável capaz de cativar os olhos de quem observa.”

 

18424981_1325846344203597_4948102192748231890_nPreconceito nunca sofri mas assédio infelizmente, sempre tem algum engraçadinho que na internet se acha no direito de fazer comentários excessivos e indelicados, com esses não tem segredo, o jeito é não dar atenção e bloquear. Porém os assédios acontecem mais pela internet e pessoalmente são mais raros, acredito que a postura da mulher tatuada é tão forte que os caras ficam com medo de como ela possa reagir.

Assim como em todo ramo, temos mulheres de todo tipo neste ramo não é diferente, porém o respeito tem prevalecido e percebo que tudo isso tem evoluído para o bem, as tatuadas estão cada vez mais se cuidando, ficando assim cada dia mais bonito e até mesmo a rivalidade entre elas tem um ponto positivo, pois isso as incentiva a serem cada vez melhor e todos nos só temos a ganhar com isso.

unnamed (1)A minha primeira tattoo foi o nome do meu marido no braço, porém o significado vai muito além, ela foi um divisor de águas para mim, onde eu saí de uma depressão e decidi viver e fazer o que me fazia bem.
Minha tatuagem preferida é a minha sereia na lateral da coxa e perna.

Para as meninas que querem ser modelos desse seguimento um recadinho:
” Encontre bons profissionais, tudo que for fazer faça com dedicação e o seu melhor, sobre o que as pessoas podem pensar de você?  Seu caráter será seu advogado!”
E para as que seguem na tatuagem:
” Estude muito, tenha humildade, sempre há mais a aprender, até mesmo com quem você acha que sabe menos que você.”  

Sempre participo de eventos beneficentes em prol a lares sérios que cuidam de idosos, crianças e deficientes, faço visitas a eles. Também defendo primeiramente a liberdade e respeito principalmente a mulher, não é um projeto nem um movimento feminista, mas sim uma bandeira que me acho na obrigação de levantar.

 

Recadinho aos seguidores:
Sou muito grata a Deus por ter pessoas que admiram a mim e ao meu trabalho, me sinto muitíssimo honrada com esse reconhecimento, certamente farei o possível para que se orgulhem cada vez mais de mim. Pois devo boa parte do que sou a vocês, muito obrigada pelo carinho e respeito de sempre.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *